Caixa de som embutida no gesso ou presa na parede? Qual a melhor? | Audio Prime

Tempo de leitura: 3 minutos

Ficou curioso? A gente também! Tanto que resolvemos testar a teoria na prática e conferir o resultado! Vem com a gente ver qual é a melhor opção, Caixa de som embutida no gesso ou presa na parede. 

Hoje a Audio Prime chega com o que podemos chamar de um teste injusto: fazer uma comparação mostrando o desempenho de uma caixa de som de embutir e de uma caixa de sobrepor. Vem com a gente ver o resultado dessa verdadeira polêmica!

Prova real: qual a melhor caixa, de sobrepor ou de embutir no gesso?

A ideia de fazer a experiência, na verdade, surgiu enquanto a equipe gravava um outro vídeo e o assunto veio à tona: afinal, qual é a melhor caixa de som? A de embutir? Ou a de sobrepor, aquela que também pode ficar presa na parede?

O assunto começou a dividir opiniões e, como na Audio Prime a gente não deixa um assunto sem resposta, a ideia foi fazer uma prova real ali mesmo, naquela hora.

Equipamento utilizado no teste

Para isso foram utilizadas duas caixas de som, uma caixa de embutir de 100 watts e 89 dB, e outra de sobrepor de 60 watts e também 89 dB, a Frahm HS 5”.

Antes mesmo de começar o teste, já se tinha a ideia de que a caixa de som de sobrepor pareceria ter o dobro da potência da de embutir.

Isso, mesmo escolhendo a caixa de som de embutir queridinha da Audio Prime, aquela que a gente sempre indica para os nossos clientes: a AAT LR E-100, um modelo retangular, com duas vias e ajuste de crossover.

Por que a caixa de sobrepor é melhor?

Antes de mais nada, é preciso entender que a caixa de som de sobrepor funciona em um ambiente controlado. Isso significa que todo o seu projeto é elaborado levando em consideração vários fatores, como a litragem e o fluxo de ar, para que o som saia perfeito.

Já praticamente todas as caixas de som de embutir são abertas, sem um back box para propiciar uma comparação talvez mais justa.

É sempre bom lembrar que uma boa ancoragem da caixa de som de embutir em todos os seus pontos de fixação no forro de gesso é muito importante. A própria firmeza já melhora o desempenho do conjunto de alto-falantes e crossover.

Por outro lado, o espaço do ambiente em que a caixa está inserida também acaba funcionando como uma litragem de back box, potencializando o som.

Da teoria para a prática

Na prática, o teste de tocar em cada caixa o mesmo trecho de música por 30 segundos deu o resultado esperado.

Apesar da ótima qualidade da caixa de embutir escolhida, a caixa de som de sobrepor apresenta um som mais potente, com melhor linearidade sonora.

Dicas finais da Audio Prime

Isso não significa que sempre que puder deve trocar a caixa de embutir pela de sobrepor. Hoje há uma grande demanda justamente por conta da beleza e discrição desse tipo de caixa, favorecendo mais a estética do que a linearidade do som.

Saber usar os dois tipos de caixa também é um ponto importante. A Audio Prime recebe muitos projetos de som para dois ambientes, um interno e outro externo. Nesses casos, a equipe geralmente opta por colocar as caixas de embutir no ambiente interno e as de sobrepor no externo.

Mas atenção: a gente sempre frisa que deve ser usado no máximo quatro caixas no canal do ambiente interno e duas no externo, justamente porque o fluxo de dissipação de energia dos dois tipos de caixas é diferente. Assim, nós conseguimos o mesmo desempenho em ambos os canais.

Se, ao contrário, em vez de duas você colocar quatro caixas no segundo canal, vai haver um decréscimo desproporcional de potência.

E para você, qual o melhor tipo de caixa de som? Você concorda com o nosso teste ou tem outra opinião? Conta para a gente o que você acha e já sabe: se precisar de orientação, chama a gente no Whatsapp!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.