Saiba quais os materiais usados para tratar e melhorar a acústica de escritórios e academias (Audio Prime x Scala)

Tempo de leitura: 4 minutos

Quer melhorar a acústica da sua academia ou escritório? Veja essa colab com a Scala e descubra os melhores materiais de absorção e isolamento do som!

Uma boa acústica faz toda diferença no som ambiente, principalmente quando a ideia é motivar o pessoal. Por isso a Audio Prime preparou esse conteúdo em colaboração com o arquiteto e especialista em acústica Arthur Bianchi, da Scala Acústica.

Aqui você vai conhecer alguns dos materiais mais usados para tratar e melhorar a acústica em escritórios e academias de acordo com o tamanho do ambiente e o projeto. Vem com a gente!

Espumas melamínicas

Há vários tipos de espumas melamínicas. Algumas das mais utilizadas são a bass full e a nuvem acústica, usadas para absorver principalmente as frequências médias e altas em ambientes que já estão construídos e onde não é possível haver reforma no forro.

Para academias, inclusive, há um material específico para isolamento de vibração, que consegue isolar impactos de alta intensidade de forma que não sejam transmitidos para os demais ambientes e pavimentos.

Por outro lado, há espumas melamínicas ignífugas, que não pegam fogo e que respondem às exigências de segurança do Corpo de Bombeiros. De acordo com o arquiteto, o material é bastante utilizado em estúdios, porque também absorve determinadas frequências da fala.

Além de eficientes, essas espumas também são materiais esteticamente bonitos e bem-acabados, que agregam valor ao ambiente.

Lãs de isolamento

As “famosas” lãs trabalham principalmente com absorção para ambientes, podendo ser usadas em forros e paredes. Sua função é absorver principalmente as médias e altas frequências.

Segundo Bianchi, as lãs até podem trabalhar também em baixas frequências, mas sua eficiência vai depender bastante do tipo de instalação que está sendo feita.

Entre os tipos de lã, existem as de vidro, de rocha e de PET. De um modo geral a absorção é bastante semelhante.

No entanto, ele diz que para determinar a frequência e a quantidade de absorção em um projeto é preciso fazer uma análise das características de densidade e espessura de cada uma.

Forros minerais

Os forros minerais são utilizados principalmente em ambientes corporativos, onde os revestimentos modulares oferecem acesso mais fácil para a manutenção do sistema elétrico e outros equipamentos prediais.

Segundo Arthur Bianchi, eles oferecem alta absorção, qualificando acusticamente escritórios e auditórios, por exemplo.

Amortecedores de ruídos

De acordo com o arquiteto da Scala, essas molas servem principalmente para isolamento da vibração de equipamentos como os subwoofers, que promovem uma emissão de ondas sonoras pela estrutura.

Os amortecedores acústicos são utilizados em forros e pisos antivibração para evitar que as ondas atinjam os ambientes adjacentes. Segundo Bianchi, é o caso, por exemplo, de uma sala de cinema com um subwoofer muito potente e que acaba transmitindo essa potência para o piso, teto, e até móveis e vidros.

Nesse caso, é feita uma base de isolamento no subwoofer com esses amortecedores, de forma que a vibração do equipamento seja distribuída para as molas e não para a estrutura.

Esses amortecedores são utilizados também com os chamados PETs, placas utilizadas em locais onde é preciso promover um isolamento completo da vibração de todo um pavimento, como em academias.

Ele explica que cada densidade referencia um peso e vibração específicos, criando projetos personalizados de acordo com cada necessidade.

Madeiras ranhuradas

As madeiras ranhuradas são utilizadas principalmente em paredes e forros. O material possui certas cavidades por onde o som penetra para ser absorvido em seu interior.

Elas são utilizadas em conjunto com um material absorvedor na parte de trás, que pode ser lã de rocha, lã de vidro, etc. Assim, o arquiteto explica que o sistema multicamada torna possível trabalhar a absorção de frequências específicas.

Por ser uma material de fino acabamento, é bastante trabalhado em locais em que a preocupação estética é forte, como residências, ambientes corporativos e auditórios.

Parcerias de qualidade garantem o som perfeito

Segundo Bianchi, a Scala só trabalha com materiais certificados e laudados que garantem os melhores resultados em acústica para cada situação e necessidade.

A empresa faz o projeto de especificação e conta com parceiros, como a Audio Prime, para o fornecimento de equipamentos e materiais específicos. Segundo Bianchi, a precificação varia de acordo com a complexidade de cada projeto, com a presença de ambientes mais críticos e/ou de equipamentos que requerem isolamento especial.

O arquiteto lembra que, basicamente qualquer ambiente pode receber tratamento acústico. No entanto, segundo ele, em espaços muito reduzidos pode haver uma certa perda de qualidade acústica, mas intervenções sempre podem melhorar a qualidade do som.

Quer saber mais, tem alguma pergunta? Manda um Whatsapp para a Audio Prime e traga a sua dúvida ou sugestão para nós!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.